cartaz 2018 site

O Destino

Nosso roteiro é um passeio de nove dias ao longo da Transpantaneira, uma estrada de chão batido com 150km e um dos principais pontos para avistar fauna no Pantanal. Aqui as águas ditam as estações. Vamos explorar a região na época da seca e dos ipês floridos. Ficaremos em quatro hotéis-fazenda onde faremos caminhadas pela mata, passeios de barco e subiremos em torres de observação em busca dos animais.

À medida que vamos avançando pela estrada, diferentes animais são avistados. O ponto alto é Porto Jofre, final da estrada, onde vamos subir e descer o rio Cuiabá e seus afluentes em busca da onça-pintada, maior felino das Américas. Difícil de ser avistada no seu habitat no passado recente, ultimamente a onça tem aparecido com frequência naquela região. O turismo cresceu por conta disto e raramente alguém volta sem um encontro com o felino.

nery_d488420
nery_d486423
Nery_D4140942
Nery_D4142728
nery_d487508
nery_d459762
Nery_D4142810
Nery_D4141491

Roteiro 2018

dia 1 (17/ago - sexta) - Chegada em Cuaibá na parte da manhã onde rumamos para Poconé. Ali entramos na Transpantaneira e em seguida chegaremos à nossa primeira fazenda. Passeio de barco após o almoço.

dia 2 (18/ago - sábado) - Caminhda pela mata até a torre de observação e retorno para almoço. Na parte da tarde deslocamento para Pouso Alegre Lodge onde faremos algum passeio à tarde.

dia 3 (19/ago - domingo) - Após o café da manhã, caminhadas pela fazenda. Depois do almoço, voltamos à Transpantaneira e avançamos mais um pouco. Passeio de barco à tarde e encontro com a jaguatirica à noite

dia 4 (20/ago - segunda-feira) - Passeio na área pousada pela manhã. Depois do almoço podemos repetir o passeio de barco ou fazer uma trilha na mata até à torre de observação.

dia 5 (21/ago - terça-feira) - Caminhadas em torno da sede da fazenda. Na parte da tarde nos dirigimos até o final da Transpantaneira e ficaremos hospedados às margens do rio Cuiabá.

dia 6/7/8 (22 a 24 - quarta, quinta e sexta) - Três dias inteiros a bordo de lanchas à procura das onças nas margens dos rios. Usaremos lanchas de 115hp com capacidade maior que a necessária para que cada fotógrafo tenha espaço para seu equipamento e ótimas oportunidades de fotos.

dia 9 (25/ago - sábado) - Após o café da manhã retornaremos à Cuiabá para embarcar de volta para casa.

nery_d488046

Valores e Formas de Pagamento

Preço por pessoa em apartamento duplo - R$ 9.800,00 (grupo de 3 ou 4 pagantes)
Preço por pessoa em apartamento duplo - R$ 9.500,00 (grupo de 5 ou 6 pagantes)
Preço por pessoa em apartamento duplo - R$ 9.200,00 (grupo 7 ou mais pagantes)

Adicional para apartamento single - R$ 1.600,00

reserva da vaga - R$ 1.800,00
saldo dividido em 8 parcelas
eventual ajuste de valor do pacote será feito na última parcela

grupo mínimo: 3 participantes
grupo máximo: 7 participantes

Dia 30/abril/2018 é a data limite para a confirmação da viagem.
Não havendo a formação do grupo mínimo, o dinheiro será devolvido.

Nery_D4141267

Confere aqui uma postagem completa no Exposure sobre as viagens de 2013 e 2014 ao Pantanal.

Inclui

- oito noites de hospedagem ao longo da Transpantaneira com as refições incluidas
- lanchas de 115hp (Porto Jofre) com pelo menos dois lugares livres para melhor acomodar os fotógrafos e seu equipamento
- deslocamentos em veículos privativos
- seguro viagem
- acompanhamento do fotógrafo André Nery ao longo de toda a viagem
- um encontro do grupo após a saída para edição e tratamento das imagens

Não Inclui

- passagens aéreas
- bebidas nas refeições
- gorjetas nos serviços
- despesas pessoais

Nery_D4146782

FAQ

Quanto tempo leva para chegar ao Pantanal?
O grupo sai de Porto Alegre no primeiro voo da manhã com destino a São Paulo ou Brasília. Depois mais um voo até Cuiabá. Dali, de carro, são cerca de cem quilômetros em asfalto até Poconé onde se inicia a Transpantaneira. Resumindo, o grupo almoça na primeira fazenda e em seguida está fotografando.

Vamos rodar muito na Transpantaneira?
Esta estrada tem cerca de 150 quilôemtros de chão batido. Por mais que seja uma grande extensão, rodar nela sempre é uma oportunidade para fotografar a fauna da região. E na última viagem também fomos contemplados com os pantaneiros levando o gado na estrada.

Por que ficar em várias pousadas?
Cada fazenda tem suas peculiaridades, visuais distintos e seus animais mais frequentes. Vamos avançando na Transpantaneira e os cenários vão mudando até chegarmos nas onças.

Por que vamos usar carro em vez de uma van para fazer o roteiro?
A van só é utilizada em último caso. Sempre prefiro carro por causa da liberdade que ele nos oferece. Estando de carro, podemos parar quantas vezes quisermos na estrada e não vai haver problema se em vez de duas horas levarmos o dobro. Por mais gentil que um motorista seja, certamente ele tem horário a cumprir e não vai nos oferecer tantas possibilidades. Além disso, a van nos pega e leva de uma fazenda para outra em horário combinado. Estando de carro, podemos rodar a qualquer horário dentro da própria fazenda, além de poder alterar algum horário de saída sem prejuizo algum.

Por que não ficar em um barco-hotel?
Na primeira metade do passeio fazemos vários passeio em lanchas. Depois, em Porto Jofre, passamos três dias inteiros dentro de lanchas procurando onças. Passar a noite em terra firme tem seu valor, principalmente sem o barulho de um gerador ligado o tempo inteiro. Além disso, a estrutura do hotel é imbatível. Ótimas cabanas, boa comida, internet rápida em toda a área, lanchas potentes (motores de 115hp), piloteiros experientes e se comunicando o tempo inteiro por rádio.

Que lente levar?
Uma lente grande angular na faixa dos 24mm para as fotos de paisagens e uma tele do tipo 70-200mm são ótimas opções, mas a lente mais usada durante a semana inteira é uma tele longa. Eu uso uma 300mm numa câmera de sensor cropado, o que equivale a 450mm. Funciona, mas geralmente acabo dando um corte na imagem.

Por que este roteiro é tão caro?
Ainda que seja dentro do território nacional, provavelmente seremos os únicos falando em português. As pousadas vivem cheias de hóspedes europeus, o destino é muito procurado e a temporada é curta. Tudo isso somado acaba aumentando o valor.

Qual a probabilidade de vermos uma onça?
A natureza é imprevisível, mas usando a minha experiência de viagens passadas, eu diria que é difícil encontrar alguém que fique três dias inteiros no local e na época certa e não veja uma onca de perto. Os avistamentos têm sido cada vez mais constantes e, o melhor, mais longos. Em 2017 avistamos quase 20 animais em três dias. Em duas ocasiões ficamos cerca de duas horas com cada uma delas. Pela quantidade e pelo comportamento dos animais, eu imagino que a próxima temporada seja no mesmo nível.

Observações

- O roteiro acima proposto pode sofrer algumas alterações em função de clima, condições de estradas ou outros fatores alheios a nossa vontade.
- Em caso de desistência da viagem até 90 dias antes do embarque, haverá reembolso total descontado o valor dado como sinal de reserva. Se a desistência ocorrer entre 89 dias e 30 dias do embarque, o passageiro será reembolsado em 50% do valor pago descontado o sinal dado em reserva. Abaixo de 30 dias da data do embarque, não haverá reembolso para qualquer desistência, uma vez que todos os hotéis possuem tarifas não-reembolsáveis.