Nery_D4143568

O Destino

Nosso roteiro é um passeio de sete dias ao longo da Transpantaneira, uma estrada de chão batido com 150km e um dos principais pontos para avistar fauna no Pantanal. Aqui as águas ditam as estações. Vamos explorar a região na época da seca e dos ipês floridos. Ficaremos em quatro hotéis-fazenda onde faremos caminhadas pela mata, passeios de barco e subiremos em torres de observação em busca dos animais.

À medida que vamos avançando pela estrada, diferentes animais são avistados. O ponto alto é Porto Jofre, final da estrada, onde vamos subir e descer o rio Cuiabá e seus afluentes em busca da onça-pintada, maior felino das Américas. Difícil de ser avistada no seu habitat no passado recente, ultimamente a onça tem aparecido com frequência naquela região. O turismo cresceu por conta disto e raramente alguém volta sem um encontro com o felino.

Este é um roteiro mais tranquilo, voltado a famílias. A ideia é mostrar a diversidade do Pantanal para as crianças, estimulando nelas uma consciência de preservação.

Nery_D4147123
Nery_D4143994
Nery_D456022
Nery_D4146492
Nery_D486532
Nery_D4143756
Nery_D486630
Nery_D4141107

Roteiro 2019

dia 1 (20/jul - sábado) - Chegada em Cuaibá na parte da manhã onde rumamos para Poconé. Ali entramos na Transpantaneira e em seguida chegaremos à nossa primeira fazenda. Passeio de barco após o almoço.

dia 2 e 3 (21 e 22/jul - domingo e segunda) - Caminhada pela mata até a torre de observação e retorno para almoço. Na parte da tarde, deslocamento para a segunda fazenda onde muito provavelmente veremos as primeiras lagoas com jacarés e muitos pássaros. Na parte da tarde faremos um passeio de barco pelo rio onde teremos grandes oportunidades de avistamento da fauna da região. No segundo dia teremos uma cavalgada pelo campo e outro passeio de barco no rio, desta vez em sentido oposto.

dia 4 (23/jul - terça-feira) - Após o café da manhã nos dirigimos até o final da Transpantaneira. Ao longo da estrada vamos parando conforme as oportunidades e os animais forem aparecendo. À noite ficaremos hospedados às margens do rio Cuiabá.

dia 5 e 6 (24 e 25/jul - quarta e quinta) - Dois dias inteiros a bordo de lanchas à procura das onças nas margens dos rios. Usaremos lanchas de 115hp para rápido acesso quando alguma onça for avistada via rádio.

dia 7 (26/jul - sexta-feira) - Após o café da manhã retornaremos à Cuiabá para embarcar de volta para casa.

- O roteiro acima proposto pode sofrer algumas alterações em função de clima, condições de estradas ou outros fatores alheios a nossa vontade.

Nery_D4144181

Valores e Formas de Pagamento

Preço por adulto em apartamento duplo / triplo - R$ 7.200,00
Preço por criança (10 anos ou menos) em apartamento duplo / triplo - R$ 4.800,00

10% de desconto para quem confirmar reserva até 31/jan/2019

reserva da vaga - R$ 800,00
saldo a combinar

grupo mínimo: 6 participantes
grupo máximo: 12 participantes

Dia 30/abril/2019 é a data limite para a confirmação da viagem.
Não havendo a formação do grupo mínimo, o dinheiro será devolvido.

Nery_D4138995-2
Confere aqui uma postagem completa no Exposure sobre as viagens de 2013 e 2014 ao Pantanal.

Inclui

- seis noites de hospedagem ao longo da Transpantaneira com as refições incluidas
- lanchas de 115hp (Porto Jofre) que permitem rápido acesso aos pontos onde as onças são avistadas
- deslocamentos em van com ar condicionado
- acompanhamento do fotógrafo André Nery ao longo de toda a viagem
- dicas de fotografia para os participantes, independe do seu equipamento

Não Inclui

- passagens aéreas
- bebidas nas refeições
- gorjetas nos serviços
- despesas pessoais

Nery_D4139604

FAQ

Quanto tempo leva para chegar ao Pantanal?
O grupo sai de Porto Alegre no primeiro voo da manhã com destino a São Paulo ou Brasília. Depois mais um voo até Cuiabá. Dali, de carro, são cerca de cem quilômetros em asfalto até Poconé onde se inicia a Transpantaneira. Resumindo, o grupo almoça na primeira fazenda e em seguida está fotografando.

Vamos rodar muito na Transpantaneira?
Esta estrada tem cerca de 150 quilôemtros de chão batido. Por mais que seja uma grande extensão, rodar nela sempre é uma oportunidade para fotografar a fauna da região. E na última viagem também fomos contemplados com os pantaneiros levando o gado na estrada.

Por que ficar em várias pousadas?
Cada fazenda tem suas peculiaridades, visuais distintos e seus animais mais frequentes. Vamos avançando na Transpantaneira e os cenários vão mudando até chegarmos nas onças.

Por que não ficar em um barco-hotel?
Na primeira metade do passeio rodamos pela Transpantaneira. Em cada fazenda fazemos trilhas pela mata e/ou passeio em lanchas. Depois, em Porto Jofre, passamos três dias inteiros dentro de lanchas procurando onças. Passar a noite em terra firme tem seu valor, principalmente sem o barulho de um gerador ligado o tempo inteiro. Além disso, a estrutura do hotel é imbatível. Ótimas cabanas, boa comida, internet rápida em toda a área, lanchas potentes (motores de 115hp), piloteiros experientes e se comunicando o tempo inteiro por rádio.

Não somos fotógrafos. Que equipamento levar?
Cenas de paisagem funcionam bem mesmo com celulares. Quanto mais novo o modelo, melhor a qualidade das fotos. Na mais recente viagem, tenho várias fotos feitas com um iPhone 7. Se a ideia é fotografar a fauna, então vai ser necessário uma lente com mais alcance. Mesmo aquelas câmeras compactas com grande zoom funcionam muito bem. Estaremos o tempo inteiro em uma boa condição de luz, então mesmo máquinas mais simples dão conta do recado tranquilamente. Eu diria que uma lente na faixa dos 400mm a 600mm de zoom é ótimo.

Por que este é um roteiro caro, mesmo estando dentro do Brasil?
Ainda que seja dentro do território nacional, provavelmente seremos os únicos falando em português. As pousadas vivem cheias de hóspedes europeus, o destino é muito procurado e a temporada é curta (julho a outubro). Tudo isso somado acaba aumentando o valor.

Qual a probabilidade de vermos uma onça?
A natureza é imprevisível, mas usando a minha experiência de viagens passadas, eu diria que é difícil encontrar alguém que fique dois dias inteiros no local e na época certa e não veja uma onca de perto. Os avistamentos têm sido cada vez mais constantes e, o melhor, mais longos. Em 2017 avistamos quase 20 animais em três dias. Em duas ocasiões ficamos cerca de duas horas com cada uma delas. Pela quantidade e pelo comportamento dos animais, eu imagino que a próxima temporada seja no mesmo nível.

Observações

- O roteiro acima proposto pode sofrer algumas alterações em função de clima, condições de estradas ou outros fatores alheios a nossa vontade.
- Em caso de desistência da viagem até 90 dias antes do embarque, haverá reembolso total descontado o valor dado como sinal de reserva. Se a desistência ocorrer entre 89 dias e 30 dias do embarque, o passageiro será reembolsado em 50% do valor pago descontado o sinal dado em reserva. Abaixo de 30 dias da data do embarque, não haverá reembolso para qualquer desistência, uma vez que todos os hotéis possuem tarifas não-reembolsáveis.